hello, world

Deitava-se no sofá, nu. Não, não estava nu. Estava de pé, terceiro na fila dum caixa rápido de supermercado, esfaqueado pela súbita idéia de estar nu, desprotegido, estatelado. Alguém estabelece contato: um homem, o primeiro homem, de frente para a máquina, agora de costas, seus dedos distraídos em carícias numa fenda sobre um leitor de código de barras.

Anúncios
Padrão

Não olhe agora, tem uma garota pálida de filme de terror atrás de você, sorvendo você, tonta, atordoada pela súbita passagem que a trouxe até aqui tão perto, agora.

Padrão